Metodologias ágeis: facilitadoras do trabalho remoto

As metodologias ágeis têm ganhado espaço em diversos setores nos últimos anos, e não é diferente no ambiente jurídico, por suas características de trabalho dinâmico, colaborativo e com necessidade de grande gestão de prazos e resultados.

O avanço das metodologias ágeis não significa a extinção do tradicional gerenciamento de projetos, ainda muito aplicado e com grande efetividade. Mas a adaptação, levando em consideração os conceitos de agilidade, promete trazer muito mais produtividade, engajamento, transparência e rapidez no desenvolvimento de projetos, que se tornaram grandes desafios de gestão quando discutimos sobre trabalho remoto.

Como garantir que todos os times e colaboradores estejam alinhados? Todos sabem exatamente o que fazer? Quais entregas geram mais valor para o resultado final? O que precisa ser priorizado? Quais reuniões realmente precisam acontecer? Esses são alguns desafios relacionados à gestão de projetos que podem ser minimizados pela aplicação de metodologias ágeis.

Em resumo, os métodos ágeis se baseiam em ciclos de desenvolvimento curtos, transformando grandes projetos em pequenos sprints de produção possibilitando pequenos ganhos rápidos e um maior controle do resultado final, mesmo quando existem muitas pessoas envolvidas no projeto. Comparativamente com os modelos tradicionais de gestão, o que as metodologias ágeis propõem é uma abordagem muito mais focada na execução e adaptabilidade ao longo do processo, optando por uma colaboração com mais autonomia e clareza de responsabilidades.

Existem várias técnicas distintas que aplicam esses conceitos e, por seu gerenciamento simples, podem ser facilmente adaptadas ao trabalho remoto, facilitando a gestão de pessoas e de projetos. Como sugestão, indicamos o Scrum, Kanban e Lean. A seguir, conheça um pouco sobre cada uma delas e suas aplicabilidades.

Método Scrum

Ideal para o acompanhamento de projetos em que se deseja construir uma definição muito clara de papéis entre os envolvidos. O método Scrum propõe a existência de um “dono do projeto” que assumirá a gestão das atividades, garantindo o resultado final e zelando pela qualidade e integração entre as etapas. Para isso, o responsável do projeto elencará as principais atividades a serem executadas e, sobretudo, o que priorizar em cada Sprint. Uma Sprint é uma reunião de acompanhamento realizada em um intervalo de tempo definido e curto (uma ou duas semanas, por exemplo), que tem um foco específico e claro para cada membro do time.
Como feedback e alinhamentos constantes são fundamentais em qualquer metodologia ágil, no Scrum, a cada Sprint o time discute o que foi feito, os desafios e dificuldades enfrentadas, e o que precisará ser refeito ou priorizado na próxima Sprint, repetindo o ciclo.

Método Kanban

Bastante focado na gestão visual das atividades e, também, na simplificação de processos, o Kanban demanda que seja criado um quadro (físico ou online), tradicionalmente, dividido em três colunas

  • To do (a fazer): deve apresentar todas as tarefas a serem feitas num determinado intervalo de tempo.
  • Doing (em andamento): nessa coluna estão todas as atividades que, no tempo presente, estão sendo executadas.
  • Done (feito): aqui estão as tarefas já validadas e entregues por cada um dos times.

Um desafio do Kanban é garantir o engajamento e participação dos times, dado que é da autonomia de cada responsável pela tarefa, movê-la através das colunas para garantir que todos conseguem visualizar o andamento das atividades e a quem recorrer.
Uma ferramenta muito difundida e que usa do conceito do Kanban é o Trello. Por sua praticidade, pode ser facilmente implementado em equipes remotas e facilitar a visualização e gestão de projetos que são realizados em conjunto, envolvendo dois ou mais participantes.

Método Lean

O Lean se tornou conhecido com a publicação do livro “Lean Startup” do autor Eric Ries, que, em tradução, é conhecido como “Startup Enxuta”. O foco dessa metodologia é identificar e extinguir pontos que geram desperdícios financeiros e de tempo durante o andamento de algum projeto.
O conceito de MVP (Minimum Viable Product, Mínimo Produto Viável, em tradução), é bastante aplicado quando se utiliza Lean para gerenciar projetos: aqui, o objetivo é sempre buscar a forma mais simples, funcional e com menor custo para uma determinada demanda. Sendo assim, para empresas que buscam otimizar processos para lançamento de produtos e serviços, adotar a metodologia Lean pode ser o ideal, dado que o foco está no que realmente gera valor para o cliente, sem o gasto de esforços supérfluos e geração de desperdício.

Gessica Dorneles

Gessica Dorneles

Graduada em Psicologia pela UFMG, Coach pela Academia do Psicólogo e Headhunter especializada no segmento jurídico.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Posts anteriores

O negócio é negociar!

A negociação está presente em nossa vida, pessoal e profissional, em diversos momentos. Negociamos com a pessoa com quem nos relacionamos, com nossos pais, filhos

Gestão por Competência

O capital intelectual é um ativo essencial para manter a competitividade no mercado, e a gestão por competências é uma forma de administrar e desenvolver

Assine a nossa newsletter