Já ouviu falar da Matriz BCG?

Matriz BCG

A Matriz BCG consiste em uma técnica desenvolvida para analisar o desempenho e o ciclo de vida de produtos/serviços. Ela foi desenvolvida na década de 70 por Bruce Henderson para a empresa de consultoria americana Boston Consulting Group (de onde surgiu a sigla BCG).

Ainda hoje é uma ferramenta muito útil e possui como principal objetivo identificar quais produtos/serviços “merecem” receber maiores investimentos, considerando a sua participação no mercado (e, também, a participação que a empresa detém ou possua potencial de deter) e as perspectivas de crescimento.

Abaixo uma representação gráfica da Matriz BCG, trazendo as duas dimensões avaliadas – Participação relativa de mercado e Crescimento de Mercado – e as classificações dos produtos/serviços conforme a posição em que se encontrem, considerando essas duas perspectivas: Em questionamento (ou Pontos de Interrogação ou Dilemas), Estrelas, Vacas Leiteiras e Abacaxis.

A ordem de evolução dos produtos/serviços entre os quadrantes não segue um padrão, pois dependerá da performance da empresa e das reações de mercado.

A seguir, uma explicação sobre cada um dos níveis:

  • Pontos de interrogação: Produtos/serviços ainda com baixa participação de mercado, mas com perspectivas de alto e rápido crescimento. Como não há uma relevante participação no mercado, surge a interrogação: qual o investimento para aumentarmos essa participação? É válido? Se bem trabalhado, tende a se tornar uma Estrela.
  • Estrelas: Produtos/serviços já com grande participação em um mercado com perspectiva de crescimento alto e rápido. Essa perspectiva pode atrair muitos concorrentes, o que pode demandar um investimento alto ou redução dos preços, por exemplo, para defesa do market share. Se bem trabalhado, tende a se tornar uma vaca leiteira.
  • Vacas leiteiras: Produtos/serviços estáveis. Normalmente, os altos investimentos já foram feitos e é hora de aproveitar para colher os frutos. Em regra, são “ex Estrelas”. Não vivem mais uma fase de grande procura e crescimento (já foram moda), mas ainda há demanda e rendem uma receita interessante sem muitos esforços. Podem se tornar Abacaxis, ao longo do tempo.
  • Abacaxis: Geralmente são o fim do ciclo de vida de um produto/serviço. Ao longo do tempo pode ser pouco demandado pelo mercado e nossa participação pode ter se reduzido pela entrada de concorrentes mais agressivos, mais preparados ou por outros fatores. Temos que estar atentos para identificarmos o momento de extingui-lo.

A Matriz BCG não deve ser o único elemento para definirmos nossas estratégias de posicionamento de mercado, mas, certamente, fornece informações relevantes para auxiliar na tomada de decisão quanto à alocação de investimentos e precificação e, também, diretrizes para diversificação do portifólio de produtos/serviços.

E você, já aplicou a Matriz BCG para avaliar seu portifólio de produtos/serviços? Compartilhe conosco sua experiência. Caso ainda não tenha utilizado o método, diga se achou que pode ser útil para seu negócio!

Ricardo Oliveira

Ricardo Oliveira

Sócio Perroni Consultoria. Experiência na estruturação de departamento jurídico interno e implementação dos processos gerenciais. Graduado em Direito em 2001 (PUC-MG). Especialista em Direito da Economia e da Empresa em 2004 (Business Institute FGV-MG).

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Posts anteriores

Assine a nossa newsletter