TRÊS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS PARA O PÓS COVID-19

TRÊS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS PARA O PÓS COVID-19 - perroni consultoria

Apesar de ainda estarmos no meio da pandemia, já é momento de planejarmos e refletirmos sobre o que virá e, consequentemente, sobre quais competências serão mais requisitadas, não só no mundo jurídico, como no meio corporativo como um todo.

O ser humano tem, por natureza, em sua grande maioria, resistência à mudança. Mudar significa trocar de lugar, alterar. Mas por que mudança assusta? Simplesmente porque nossa mente, “por questões de segurança”, tende a escolher o caminho “conhecido”. Nós já temos, bem ou mal, mecanismos de defesa para lidar com aquilo que nos é habitual. Nesse sentido, para realizarmos mudanças de maneira menos penosa/com menor resistência, precisamos “informar à nossa mente” que modificar o cenário não significa levarmos nosso estado para um status perigoso e para o qual não teremos mecanismos de proteção. E como fazer isso? Através do planejamento!!

Nossa resistência aparece, com muito mais força, diante de situações desconhecidas. Planejar é, justamente, determinar etapas de forma sistemática e antecipar-se aos eventos que virão. Através dessa simples atitude, nós “damos um nó” em nosso cérebro, transformando o desconhecido (leia-se “perigoso”) em familiar/inofensivo.

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, criação e inovação não são sinônimos. Criar remete a construção de algo original. Já inovar, é transformar um sistema estável em algo melhor. A inovação, normalmente, surge da ação, e não daquele “momento eureka”. Não é na paralisia e na espera de uma solução milagrosa, mas através da repetição e constante inquietação sobre “como posso fazer isso de maneira mais inteligente”, que a inovação acontece. Ainda nessa linha, vale reforçar que é muito mais comum mudanças positivas ocorrerem após a sucessão conjunta de ideias, do que a partir de uma mente única. E, se podemos dizer que a Covid-19 nos trouxe algum ensinamento, com certeza o mais forte deles é a importância da colaboração entre as pessoas.

Por último, não se faz necessário trazer aqui o conceito da palavra mais falada nos últimos tempos, que é a empatia. Mas vale ressaltar que o momento que estamos vivendo é experimentado, por cada um, de maneira diferente. Nesse sentido, buscar compreender, de fato, a realidade de cada um, através da vivência do outro, e não da própria, é competência chave para trazer resultados positivos, tanto para sua organização, quanto para o cliente.

Eduardo Perroni

Eduardo Perroni

Diretor da Perroni Consultoria, com 14 anos de experiência profissional. Possui sólida vivência no Recrutamento e Seleção, Avaliação Psicológica, Desenvolvimento de Pessoas e Consultoria Organizacional

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Posts anteriores

Assine a nossa newsletter