Soft Skills e sua importância para o mercado de trabalho moderno

Soft Skills e sua importância para o mercado de trabalho moderno | Perroni Consultoria em RH

O mercado de trabalho vem se modificando na velocidade de um mundo globalizado, tecnológico e cada vez mais rico em interações e informações. Se há algumas décadas bastava que o profissional tivesse conhecimentos científicos e técnicos de excelência, cada vez mais se torna clara a necessidade de um portfólio de características, atitudes e aptidões que englobam outras áreas do conhecimento e principalmente do relacionamento humano. As novas demandas exigem profissionais que saibam se comunicar, trabalhar em equipe, lidar com a diversidade, além de possuírem apurado juízo ético. É sobre este ponto em específico que tratará o presente texto: as chamadas soft skills.

Em um primeiro momento, cumpre ressaltar a existência de uma ideia dicotômica entre hard e soft skills. Nos termos já introduzidos no parágrafo anterior, hard skill está atrelada ao conhecimento técnico, à aquisição de novas habilidades através de formação acadêmica ou da própria prática da atividade. Estaria relacionada, portanto, ao Quociente de Inteligência, a habilidades intelectuais propriamente ditas. As competências do tipo hard estão diretamente associadas à competência no trabalho. 

De outro lado, as soft skills são habilidades interpessoais, humanas, comportamentais, com ênfase nas relações entre pessoas e na resolução de conflitos. Embora não exista uma definição precisa, é possível afirmar que todas englobam estes pontos. Relacionam-se de maneira mais direta com os traços de personalidade, com as motivações, preferências e experiências pessoais. Apesar de afastadas da parte técnica e mais ligadas a um estilo pessoal, podem ser desenvolvidas e melhoradas ao longo do tempo. Atividades que promovam autoconhecimento e a melhora na comunicação, por exemplo, podem ajudar neste papel. 

Neste sentido, conforme apontado por Silva e Nascimento, algumas universidades já vêm se preocupando em oferecer a seus alunos algo que transcenda a técnica. Existe uma tendência a que elas se foquem em estratégias de aprendizagem ativa, fomentem a cooperação entre indivíduos e abordagens multidisciplinares. 

A soft skill, portanto, está relacionada à inteligência emocional, que pode ser definida como a capacidade do indivíduo para identificar seus sentimentos e o de seus pares, de motivar a si mesmo e aos outros, com facilidade para gerenciar suas próprias emoções e relacionamentos. Se bem exercida, não há dúvida de que representa vantagem competitiva no mercado de trabalho, diretamente ligada ao sucesso profissional.

As habilidades variam de acordo com a função exercida e o setor de atuação do profissional. A título de exemplo, as soft skills mais valorizadas no século XXI são: 

  • Comunicação
  • Ética
  • Gestão do Tempo
  • Comunicação escrita
  • Trabalho em equipe
  • Etiqueta Empresarial
  • Diversidade
  • Serviço ao cliente
  • Solução de Problema/Pensamento Crítico
  • Comunicação Oral
  • Liderança

No contexto do mercado jurídico, destaca-se a habilidade de relacionamento demandada do profissional que, por exemplo, precisa participar de reuniões com clientes, audiências, negociações e, principalmente, lidar com seus pares, tanto em suas áreas de atuação quanto de outras porventura existentes. Além dela, mas caminhando lado a lado, não é possível esquecer-se das necessidades de comunicação, gestão de tempo e trabalho em equipe, habilidades tão presentes no dia a dia do advogado. 

Até agora foi avaliado o ponto de vista do profissional, ou seja, da necessidade de que o indivíduo se atente para todas as questões e que busque, por si só, o desenvolvimento das habilidades. Por outro lado, percebe-se que as próprias corporações tendem a investir na educação comportamental de seus profissionais. Busca-se, com isso, a potencialização do rendimento através da promoção de um clima colaborativo e de compartilhamento de experiências, impactando positivamente, em último nível, na performance do time. 

Veja-se que hard e soft skills são habilidades complementares que devem caminhar juntas. Não se busca de modo algum diminuir a importância da busca por conhecimento técnico, pelos cursos de especialização, mestrado e doutorado. O objetivo do texto é ampliar o horizonte do profissional a partir de uma necessidade cada vez mais presente no mercado, por todos os fatores já citados. 

 

Referências Bibliográficas

ANDRADE, Clarisse Soares Leite de. A influência das Soft Skills na atuação do gestor: a percepção dos profissionais de gestão de pessoas. Dez. 2016. Disponível em <https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/17711>. Acesso em 19 nov. 19.

CORRÊA, Glauco Corbari. Definição e desenvolvimento de competências: um paradigma no processo estratégico. Estudos do CEPE, Santa Cruz do Sul, p. 103-116, set. 2015. ISSN 1982-6729. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/cepe/article/view/6294>. Acesso em: 19 nov. 2019. :https://doi.org/10.17058/cepe.v0i41.6294.

PEDROSA, Nadia et al. Relevância dos soft skills em gerenciamento de projetos globais. Revista Gestão & Tecnologia, [S.l.], v. 18, n. 3, p. 245-260, nov. 2018. ISSN 2177-6652. Disponível em: <http://revistagt.fpl.edu.br/get/article/view/1320>. Acesso em: 19 nov. 2019.

SILVA, Rita Santos; NASCIMENTO, Inês. Ensino superior e desenvolvimento de competências transversais em futuros economistas e gestores. Rev. bras. orientac. prof,  São Paulo ,  v. 15, n. 2, p. 225-236, dez.  2014 .   Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-33902014000200012&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  19  nov.  2019.

Pedro Palhares

Pedro Palhares

Graduado em Direito e graduando em Psicologia pela Universidade Fumec, Pós graduado em Mediação de Conflitos pela FGV/SP e Headhunter especializado no segmento jurídico.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Posts anteriores

Assine a nossa newsletter